.

Superstição


S uperstição é uma crendice popular que não possui explicação científica.

Está no imaginário das pessoas de forma irracional, como se fosse mágia, sobrenatural .
As superstições são criadas pelo povo e costuma passar de geração para geração.

O dicionário Houaiss define as palavras "superstição", como a crença ou noção sem base na razão ou no conhecimento, que leva a criar falsas obrigações, a temer coisas inócuas, a acreditar em coisas absurdas e ineficazes. Sem nenhuma relação racional entre os fatos e as supostas causas a eles associados, crendice.
Ou seja, dar crédito a fatos ou relações sobrenaturais, fantásticas ou extraordinárias e que também não encontram apoio nas religiões ou no pensamento religioso.

Não se sabe ao certo a origem exata de como a superstição começou influenciar na vida do homem. Mas com certeza essas práticas que existem hoje têm sua origem nas antiqüíssimas religiões da Assíria, Babilônia, Egito, Grécia e Roma. São resquícios de práticas idólatras já há muito tempo condenadas pela Bíblia (antigo testamento). O homem distante de seu Deus procura subjugar o reino das trevas através de amuletos, talismãs,encantamentos, rezas, simpatias aos quais atribuem poderes mágicos.

O ser humano tinha uma visão mágica do mundo, acreditando que fatores sobrenaturais podiam interferir diretamente no seu dia-a-dia. Esse modo de pensar foi-se transmitindo de geração a geração, em especial entre as camadas sociais inferiores, onde o nível cultural é de qualidade mais baixa, com isso foram mantidos à margem da evolução do conhecimento científico.

Não obstante, isso se acha também entre os intelectuais e os sábios, muitas vezes com maior intensidade. Mesmo as pessoas mais instruídas podem apresentar certos comportamentos supersticiosos.

Não é preciso ser pobre nem ignorante para ser supersticioso. Como diz o ditado, "não acredito em bruxas, mas que elas existem, existem" O cientista dinamarquês Niels Bohr (1885-1962), que ganhou o Prêmio Nobel de física, mantinha uma ferradura pregada acima da porta de sua casa...

O Brasil, devido à mistura de raças (o índio, o negro e o europeu) é um campo fértil para as mais variadas e aberrante superstições.

As supertições podem, muitas vezes, atrapalhar a vida das pessoas. Podemos citar como exemplo de pessoas que deixam de fazer determinadas atividades num dia de sexta-feira 13. Não há nenhuma explicação científica que prevê que este dia atrai azar, porém muitos indivíduos acreditam nisso como se fosse uma verdade.


O universo das crendices é deveras enorme. Existem superstições para todas as ocasiões, situações e pessoas

Pretendemos em uma proxima matéria relacionar várias
simpatias, amuletos, talismãs, ligadas a superstição.

A superstição ofende mais a Deus do que o ateísmo. Denis Diderot

A Superstição é a ignorância em forma de fé. Alvaro Granha Loregian

A superstição é a realização dos espíritos fracos. Edmund Burke

Fontes:
suapesquisa

Compartilhar            Home

6 Deixe seu comentário:

Vitória disse...

Bem, agora que li toda matéria, deixa eu dar três batidas na mesa de preferência que seja de madeira.
Choooo sai pra lá

Claudia disse...

Supertição é para quem não acredita nem em si próprio.

taro disse...

Superstição é acreditar e funcionar. Quer experimenttar!!???

Daniela disse...

Não ligo nem um pouco para essa história de supertição.
Passo debaixo de escada, sem problema, adoro gato preto, se precisar passar em um teste de emprego, não vou fazer figa e nem acender vela,vou me preparar e isso basta.

Odila disse...

Penso que as pessoas superticiosas, são pessoas que não acreditam em DEUS.

Ranulfo disse...

Não sei se vocês concordam com supertição ou não, temos que fazer a nossa parte.
O que vocês acham.....

Obrigado pela visita.
Abraços

Postar um comentário

Será um prazer receber comentários, para nós do Varimix, eles são muito importante.

Esclarecemos que, serão avaliados antes da publicação, sendo que comentários obscenos, difamatórios e que não tem relação com o Blog não serão publicados.
Os comentários não refletem a opinião do autor do artigo.

Participem, deixem seu recado.
Abraços!